quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

Reforma ortográfica - verbo MANTER

Derivados de "ter" não sofrem alteração com a reforma ortográfica

Por Thaís Nicoleti

"Os Estados Unidos mantém a prisão de Guantánamo."

Em tempos de reforma ortográfica, as dúvidas pululam. Até aqueles casos que permaneceram inalterados são motivo de hesitação na hora de escrever.

Um deles é o do verbo "manter" (diga-se: de todos os derivados do verbo "ter"), que, na terceira pessoa do singular, recebe o acento agudo, mas, na terceira do plural, recebe o circunflexo. Assim: ele mantém, eles mantêm.

Essa distinção é puramente gráfica, dado que a pronúncia de ambas as formas é exatamente a mesma. O acento é necessário em ambas para satisfazer a regra das oxítonas terminadas em "em" (sempre acentuadas), em oposição às paroxítonas terminadas em "em" (nunca acentuadas).

Observe que a forma "mentem" (do verbo "mentir") é paroxítona (sem acento) e as formas "mantém" e "mantêm" (do verbo "manter") são oxítonas; o mesmo se dá com "contem" (paroxítona, sem acento), do verbo "contar", e "contém"/ "contêm" (oxítonas, acentuadas), do verbo "conter".

O verbo "ter", ele próprio, só recebe o acento na terceira pessoa do plural (eles têm), pois é uma palavra monossílaba, não caindo, portanto, na regra das oxítonas acima relembrada.

O caso em questão pode, porém, ser tratado como um erro de concordância, pois o acento funciona como indicativo da pessoa gramatical. Assim, convém lembrar que o sujeito composto de nomes próprios no plural (plural aparente) requer a concordância com o artigo que se antepõe a eles. Dessa forma, "os Estados Unidos" são, apoiam, fazem, mantêm... sempre no plural.

Veja, abaixo, o texto corrigido:

Os Estados Unidos mantêm a prisão de Guantánamo.

fonte: UOl Educação

quinta-feira, 12 de novembro de 2009

CAMA E VIDA

LUIZ CARLOS PRATES - Diário Catarinense - 121109


  • Vida é tempo. Se você fica na cama até mais tarde simplesmente porque não tem o que fazer, está sem compromisso, vai ser difícil ser alguma coisa na vida. Levantar cedo é típico dos indômitos, dos que entram no jogo para ganhar. São poucos. Todas as pessoas querem ser alguma coisa na vida, pelo menos da boca para fora. Na prática, todavia, o que se vê é um altissonante desmentido dos lábios, as ações mostram que as determinações da pessoa não passam de falácias autoenganadoras. Acabei de ler uma frase atribuída a Oscar Wilde, um dândi, um cara refinado nos gostos e áspero nas palavras, irlandês, escritor e polemista. Wilde dizia que A cada bela impressão que causamos, conquistamos um inimigo. Para ser popular é indispensável ser medíocre. Eu não disse que ele era polemista? Só faltou dizer que para causar essa boa impressão é preciso bons modos, educação e excelente qualificação em algum trabalho. O resto é aparência.

    Também defendo essa ideia. Quando falo aos funcionários nas empresas, costumo dizer a eles que é muito bom ser invejado e até odiado, desde, é claro, que não seja por ações promovidas pelo caráter, a instância moral da personalidade.

    Sim, é bom ser invejado, odiado. Por quê? Porque não invejamos a quem está no degrau debaixo, invejamos a quem está no degrau de cima. Quem nos inveja gostaria de estar no nosso lugar, e não está. Tome!

    O que Oscar Wilde quis dizer foi simplesmente que os bons, os competentes, não são tolerados. O curioso é que o invejoso não se dá conta de que ele também pode ser invejado. Desde, é claro, que se descubra, que descubra o seu talento natural, o desenvolva e com ele case por amor. Será um belo e eterno “casamento”. Mas não, o medíocre não se dá conta de que também ele pode ser admirado.

    As doenças que mais estão na “moda”, enriquecendo laboratórios, são as doenças da mente, as mentais. Daí os recordes de venda de ansiolíticos, antidepressivos, soníferos, tranquilizantes, tudo, de tudo. Muita gente anda sedada, drogada, mas de queixo falsamente erguido, dissimulam a infelicidade.

    Quem fica até mais tarde na cama é porque não tem paixão, não luta por nada. Vai acabar precisando de artifícios para viver, vai precisar das drogas da moda.

    Já uma pessoa de bem consigo mesma, produtiva no trabalho, que gosta do que faz, nunca vai precisar de “anestésicos” na vida. Gente desse tipo não joga tempo fora, não dorme mais do que a cama... Quer causar boa impressão? Saia da cama cedo e qualifique-se para o mercado.

domingo, 25 de outubro de 2009

no meu TEMPO...Aqui e agora!

Quando fazemos referência ao nosso passado, temos a péssima mania de dizer: NO MEU TEMPO... Isso é terrível! O cérebro é burro, acredita em tudo que se diz.

Mudemos o discurso. Deixemos que o nosso espírito – atemporal e livremente – fale sobre o seu tempo, no tempo que ele quiser.

Curta o passado, sonhe futuros, mas tudo AQUI-E-AGORA!
Quando dizemos “NO MEU TEMPO” estamos dizendo, nas entrelinhas, que este tempo/espaço “já era!” E não é bem assim... Não é mesmo?!


Viva..Sonhe!
Don't Let It Die


. . . . . . . . . . . . . .
PAI – Palestrante, Ator, Instrutor…”AS”
http://airton.soares.zip.net

sábado, 24 de outubro de 2009

Vírus comportamental

“SPSI”- Vírus! Delete! ®

Por Airton Soares

• Fulano tá sumido... Nunca mais deu as caras! Já sei! Só pode ser isso!

• “Na certa”, “com certeza”, “só pode ser isso” e tantas outras expressões deste quilate, sem que as percebamos no dia-a-dia, nos conduzem à posição de falantes “donos da verdade”.

• Julgamos a tudo e a todos baseado em pistas... inferências. Somos craques no G eneralizar, O mitir, D istorcer [ `GOD´= O deus nos acuda da comunicação] e colorir fatos, ocorrências nem sempre ocorridas, causando enormes e irreparáveis buracos na camada `ozonosférica´ relacional.

• Maldade da raça? Não sei. Talvez Freud e/ou o Papa expliquem, mas uma coisa é certa: PODE SER ISSO! E acredito que tem muito a ver com a nossa história de vida, ambiência cultural, valores, etc. Enfim... nosso jeitão de olhar e estar no mundo.

• Por isso, deletemos o “SPSI” das nossas relações afetivas e profissionais; instalemos já – em nosso juízo - com a opção de atualização automática, o anti-vírus “PSI” = PODE SER ISSO e vivamos melhor.

• A vida é curta. Aproveitemo-la!

- - - - - - - - -
indexada

sexta-feira, 23 de outubro de 2009

VIOLA

.

Quinta com Verso e Viola – 24ª Edição

“Quem viver, verá!”

Essa vai dar o que falar! O Clube da Viola traz os pernambucanos Ivanildo Vila Nova, a Águia do Improviso e Valdir Telles, o Menestrel do Pajeú, pela primeira vez para os palcos de Fortaleza. O tão esperado encontro entre esses dois gigantes do repente nordestino será dia 29, a partir das 20 horas, no teatro SESC Emiliano Queiroz, na 24ª etapa do Projeto Cultural Quinta com Verso e Viola.

Ivanildo Vila Nova

Natural de Caruaru/Pe, eleito o Cantador do Século XX e ainda hoje a maior referência na Arte do Improviso. Principal responsável pela transformação da Cantoria de Viola nas últimas décadas, trazendo-a para os grandes centros, buscando a valorização dos Poetas Cantadores, dando-lhes características profissionais e status de artistas. Vencedor de mais de 500 Festivais de Repentistas, vários discos gravados, “enfrentou” os maiores expoentes da Cantoria em mais de 40 anos de carreira, teve várias composições gravadas por astros da MPB, destaque para o emblemático “Nordeste Independente”, sucesso na voz da paraibana Elba Ramalho. Embora já tenha conquistado todos os troféus possíveis na Arte do Repente, também o reconhecimento do público e da crítica especializada, Vila Nova ainda é um incansável guerreiro de viola em punho, defendendo o seu Nordeste e a arte que o projetou para todo o país.

Valdir Telles

Pernambucano, de São José do Egito, no Vale do Pajeú, região conhecida como o Berço da Poesia, a Grécia dos Cantadores. Completou agora em 2009 trinta anos dedicados exclusivamente à viola, sendo um dos repentistas mais requisitados para cantorias e festivais, onde são inúmeras as suas vitórias. Foi um dos representantes do Nordeste na caravana de artistas brasileiros que visitou a França, Bélgica e Holanda. Gravou com os grandes astros da poesia cantada, lembramos alguns: Zé Cardoso, Sebastião da Silva, Ivanildo Vila Nova, Geraldo Amâncio, João Paraibano, Sebastião Dias, Raimundo Caetano, Fenelon Dantas, Louro Branco e Mocinha de Passira, além de um CD solo onde troca a viola pela sanfona e interpreta músicas populares nordestinas, demonstrando toda a sua versatilidade artística.

Não dá para perder! O encontro entre a Águia do Improviso e o Menestrel do Pajeú tem todos os ingredientes para fazerem desta uma das maiores Cantorias de todos em tempos em Fortaleza.

Separamos uma pequena amostra de um “Martelo Malcriado”, que é o estilo mais clássico do desafio nas cantorias, ocorrido entre os dois:

Valdir Telles é um dos violeiros

Que na gíria chamamos de pé-duro.

Sem valor, sem vergonha, sem futuro,

Detrator da moral dos companheiros.

Sua fé é mandinga dos terreiros,

Cabaré sempre foi a sua escola.

Impostor, xeleléu e cheira cola,

Inimigo das mães, terror dos pais.

Uma égua rinchando vale mais

Do que mil Valdir Teles com Viola.

Ivanildo cresceu se envolvendo

Com assuntos ligados à política.

Dos colegas menores já fez crítica,

Passou anos e anos ofendendo.

Ao invés de ajudar era batendo,

Como quem obedece ao satanás.

Ninguém quis enfrentá-lo eu vim atrás,

Confiando em Jesus eu acredito

Acabar de uma vez o falso mito

Que é só propaganda e nada mais.

Serviço:

Evento: Quinta com Verso e Viola – 24ª Edição

Convidados: Ivanildo Vila Nova e Valdir Telles

Local: Teatro SESC Emiliano Queiroz

Data: 29/10– 20 Horas

Ingressos: R$ 10,00 (inteira) – R$ 5,00 (meia/idosos)

Organização: Clube da Viola

Informações: Orlando Queiroz: (85) 9998.0827 - 8856.2190 - violanordestina@yahoo.com.br

Apoio Cultural

APCEF-Saúde – O Convênio do Pessoal da Caixa Econômica Federal. Confira as vantagens de se associar ao APCEF-Saúde pelo site www.apcefsaudece.com.br ou pelos telefones (85) 3264.9500 – 3229.0797.

.

.

terça-feira, 20 de outubro de 2009

Ano 10 - nº 470 - 19/10/2009






GATO ESCONDIDO COM RABO DE FORA!

Na hora de redigir, copiar ou imitar um texto, muitas pessoas, involuntariamente, transpõem para a escrita os hábitos da oralidade.

Não custa lembrar que a escrita, justamente por ser artificial, é sempre exigente e requer um continuado espírito de polícia. É comum que mesmo as pessoas mais despreocupadas estejam atentas, quando leem ou escrevem, ao uso social da norma culta.

Bem sabem disso os bandidos que enviam spams com links ou sites suspeitos imitando uma linguagem institucional. Mas eles se traem pela própria escrita: é o gato escondido com rabo de fora! Polícia neles!

















domingo, 18 de outubro de 2009

Vale - Cultura

Aprovado o Vale-Cultura

MinC - 15.10.2009 - Depois de muitos debates e dois dias de votação no Plenário na Câmara dos Deputados, em Brasília, foi aprovado, na noite dessa quarta-feira, 14 de outubro de 2009, o Projeto de Lei nº 5.789/2009, que institui o Programa de Cultura do Trabalhador e cria o Vale-Cultura. O texto, que tramita em regime de urgência, seguirá para o Senado Federal onde terá 45 dias para ser analisado e votado pelos parlamentares. O vale mensal de R$ 50 poderá ser distribuído a trabalhadores de empresas privadas que recebam até cinco salários mínimos.

Ler mais

quinta-feira, 15 de outubro de 2009

Tabaco mal...

Exposição mostra como a indústria do tabaco enganava consumidores

Do UOL Ciencia e Saúde
Em São Paulo

Em tempos de leis que proibem o fumo em locais fechados, observar um anúncio de cigarro produzido entre as décadas de 1920 e 1950 chega a ser cômico, para não dizer trágico. Naquele tempo, a indústria usava a propaganda para esconder os reais e hoje inegáveis efeitos do tabaco à saúde, como o aumento do risco de câncer.

BBC
Peças publicitárias produzidas entre 1920 e 1950 apresentavam resultados de pesquisas pseudocientíficas para convencer o público de que o cigarro não fazia mal à saúde

VEJA PEÇAS DA EXPOSIÇÃO "COMO A INDÚSTRIA DO FUMO ENGANOU VOCÊ"
LEIA MAIS SOBRE TABAGISMO
UOL CIÊNCIA E SAÚDE
Um Papai Noel que fuma e um médico que anuncia as vantagens de determinada marca de cigarro para a garganta são algumas imagens estampadas nas peças publicitárias da época, selecionadas pelos médicos Robert Jackler e Robert Proctor, professores da Universidade de Stanford, nos EUA. O material, mantido no Instituto Smithsonian, em Washington, será exibido pela primeira vez no Brasil entre os dias 15 e 26, na Livraria Cultura, em São Paulo. A mostra chama-se "Propagandas de Cigarro - Como a Indústria do Fumo Enganou Você".

Uma das estratégias dos fabricantes para convencer o consumidor, como mostra a exposição, era usar a imagem de estrelas de Hollywood, cantores e atletas de elite para vender os "benefícios" do produto. Um exemplo é a peça em que o ator Henry Fonda afirma que fuma cigarro de determinada marca para proteger a voz.

Outra tática das indústrias de tabaco era a veiculação de pesquisas pseudocientíficas para tentar reverter a opinião do público, que começava a ouvir falar sobre as reais consequências do fumo para a saúde. Para reforçar o discurso enganoso, médicos e dentistas apareciam como garotos-propaganda.

"Com a autorregulamentação da propaganda e o amadurecimento de autoridades e consumidores, anúncios como esses jamais seriam produzidos hoje em dia", comenta o publicitário Bob Costa, sócio-diretor da NovaS/B, responsável pela exposição.

Em 2008, a agência foi contratada pela OMS (Organização Mundial de Saúde) para desenvolver uma campanha para o Dia Mundial Sem Tabaco, que convidava as pessoas a quebrarem a rede de marketing do fumo e foi veiculada simultaneamente em 200 países. "O Brasil não fez parte da campanha porque já adota restrições à propaganda de cigarro", explica Costa.

Exposição: "Propagandas de Cigarro - Como a Indústria do Fumo Enganou Você"
Apoio: Livraria Cultura
Período: de 15 a 26 de outubro de 2009
Horário de visitação: de segunda a sábado das 9h às 22h; domingos e feriados das 9h às 18h
Local: Livraria Cultura do Conjunto Nacional
Endereço: Av. Paulista, 2.073 - Bela Vista
Tel.: (11) 3170-4033

terça-feira, 13 de outubro de 2009

LITERATURA - Nobel - HERTA MÜLLER

Escritora alemã Herta Müller vence o Nobel de Literatura 2009


da Folha Online

A escritora Herta Müller, 56, é a vencedora do prêmio Nobel de Literatura em 2009. O anúncio foi feito na manhã desta quinta-feira (8), na sede da Academia Sueca, em Estocolmo. Müller é a 12ª mulher a vencer o Nobel de Literatura, que premia autores desde 1901.

Veja a relação dos livros lançados por Herta Müller
Relembre os vencedores do Nobel de Literatura
Mulheres representam só 10% dos vencedores do Nobel de Literatura
Veja os nomes e pesquisas dos ganhadores do Prêmio Nobel em 2009

Jens Meyer/AP
A escritora Herta Mueller, que venceu o prêmio Nobel de Literatura deste ano
A escritora Herta Müller, que venceu o prêmio Nobel de Literatura

"Estou muito surpresa e ainda não acredito", disse a escritora em comunicado divulgado por sua agente na Alemanha. "Não posso dizer mais nada neste momento."

Herta Müller tem apenas um livro publicado no Brasil, "O Compromisso", lançado em 2004 pela editora Globo com tradução de Lya Luft.

O livro conta a história de uma ex-operária da indústria têxtil que, com certa regularidade, é chamada para prestar depoimento ao major Aldu, da polícia secreta da Romênia, durante o regime totalitário de Nicolae Ceausescu (1918-1989). O ditador governou o país entre 1974 e 1989.

Durante o anúncio do Nobel, a escritora foi definida como "alguém que, com a concentração da poesia e a franqueza da prosa, retrata a paisagem dos desfavorecidos".

A escritora nasceu em Nitzkydorf, Romênia, em 1953, dentro de uma família da minoria alemã nesse país. Sua estreia na literatura em 1982, com uma reunião de contos intitulada "Niederungen", que foi imediatamente censurada pelo governo comunista na época.

Em 1984, uma versão de seu livro de estreia foi publicada na Alemanha e o trabalho, que descreve a vida em um pequeno vilarejo de língua alemã na Romênia, virou febre entre os leitores.

Em seguida, a autora lançou "Oppresive Tango" na Romênia. Por conta das críticas ao governo do país, Müller e seu marido emigraram para a Alemanha em 1987.

Pelo título de Nobel de Literatura, a escritora receberá a quantia de US$ 1,4 milhão (cerca de R$ 2,7 milhões).

As indicações são feitas por professores, escritores já laureados e membros das academias de letras do mundo inteiro. A tradição é manter o segredo sobre os votos, mas neste ano a professora dinamarquesa de literatura Anne-Marie Mai revelou ter indicado o músico Bob Dylan.

.

.

Fonte: Folha Online

terça-feira, 6 de outubro de 2009

Hífen

REFORMA ORTOGRÁFICA: Minivocabulário

Palavras e expressões com ou sem hífen

Inez Sautchuk*
Especial para a Página 3 Pedagogia & Comunicação
Palavras e expressões mais usadas com ou sem hífen, atualizadas conforme o Acordo Ortográfico.

A

a fim de
à queima-roupa
à toa 1
à vontade
abaixo-assinado
ab-rupto 2
acerca de
aeroespacial
afro-americano
afro-asiático
afro-brasileiro
afrodescendente
afro-luso-brasileiro
agroindustrial
água-de-colônia
além-Brasil
além-fronteiras
além-mar
amor-perfeito
andorinha-do-mar
anel de Saturno
anglomania
anglo-saxão
ano-luz
antessala
antiaderente
antiaéreo
antieconômico
anti-hemorrágico
anti-herói
anti-higiênico
anti-ibérico
anti-imperialista
anti-infeccioso
anti-inflacionário
anti-inflamatório
antirreligioso
antissemita
antissocial
ao deus-dará
arco e flecha
arco-da-velha
arco-íris
arqui-inimigo
autoadesivo
autoafirmação
autoajuda
autoaprendizagem
autoeducação
autoescola
autoestima
autoestrada
auto-hipnose
auto-observação
auto-ônibus
auto-organização
autorregulamentação
ave-maria
azul-escuro

B

Baía de Todos-os-Santos
belo-horizontino
bem-aventurado
bem-criado
bem-dito
bem-dizer
bem-estar
bem-falante
bem-humorado
bem-me-quer
bem-nascido
bem-te-vi
bem-vestido
bem-vindo
bem-visto
bendito (= abençoado)
benfazejo
benfeito
benfeitor
benfeitoria
benquerença
benquerer
benquisto
bico-de-papagaio (planta)
bio-histórico
biorritmo
biossocial
blá-blá-blá
boa-fé
bumba meu boi

C

café com leite
calcanhar de aquiles
cão de guarda
carboidrato 3
causa-mortis (a...)
centroafricano 4
centro-africano 5
circum-murado
circum-navegação
coabitação
coautor
cobra-d'água
coco-da-baía
coedição
coeducação
coenzima
coerdar
coerdeiro
coexistente
coexistir
cofator
coirmão
comum de dois
conta-gotas
contra-almirante
contra-ataque
contracheque
contraexemplo
contraindicação
contraindicado
contraofensiva
contraoferta
contraordem
contrarregra
contrassenha
contrassenso
coobrigação
coocupante
coocupar
cooptar
cor de café
cor de café com leite
cor de vinho
cor-de-rosa
couve-flor
criado-mudo

D

decreto-lei
dente-de-leão
depois de amanhã
desumano
deus nos acuda (um...)
dia a dia 6
disse me disse (um...)
doença de Chagas

E

em cima
embaixo
entre-eixo
euro-asiático
eurocêntrico
ex-almirante
ex-diretor
ex-presidente
ex-primeiro-ministro
ex-secretária
extra-alcance
extraclasse
extraescolar
extrafino
extraoficial
extrarregular
extrassolar
extrauterino

F

faz de contas (um ...)
feijão-verde
fim de século
fim de semana
folha de flandres
francofone

G

general de divisão
geo-história
giga-hertz
girassol
grã-fina
grão-duque
grão-mestre
Grão-Pará
guarda-chuva
guarda-noturno
Guiné-Bissau

H

habeas-corpus (o...)
hidroelétrico
hidrelétrico
hidrossolúvel
hidroterapia
hipermercado
hiper-raquítico
hiper-realista
hiper-requintado

I

inábil
indo-chinês 7
indochinês 8
indo-europeu
infra-assinado
infra-axilar
infraestrutura
infrassom
inter-hemisférico
inter-racial
inter-regional
inter-relacionado
intramuscular
intraocular
intraoral
intrauterino
inumano

J

joão-de-barro
joão-ninguém

L

latino-americano
lenga-lenga
luso-brasileiro
lusofobia
lusofonia

M

macroestrutura
macrorregião
madressilva
mãe-d'água
má-fé
mais-que-perfeito
mal de Alzheimer
mal-acabado
mal-afortunado
malcriado
malditoso
mal-entendido
mal-estar
malgrado
mal-humorado
mal-informado
má-língua
mal-limpo
malmequer
malnascido
malpassado
malpesado
malquerer
malquisto
malsoante
malvisto
mandachuva
manda-lua
manda-tudo
maria vai com as outras
médico-cirurgião
mesa-redonda
mestre-d'armas
microcirurgia
microempresa
microestrutura
micro-ondas
micro-organismo
microssistema
minicurrículo
minissaia
minissérie
multissegmentado

N

não agressão
não fumante
não me toques 9
não violência
não-me-toques 10
neoafricano
neoexpressionista
neoimperialista
neo-ortodoxo
norte-americano

O

olho-d'água

P

pan-africano
pan-americano
pan-hispânico
para-brisa
para-choque
para-lama
paraquedas
paraquedismo
paraquedista
para-raios
pé-de-meia
pingue-pongue
plurianual
poli-hidratação
pontapé
ponto e vírgula
por baixo de
por isso
porta-aviões
porta-retrato
porto-alegrense
pós-graduação
pospor
pós-tônico
predeterminado
preenchido
pré-escolar
preexistente
preexistir
pré-história
pré-natal
pré-nupcial
pré-requisito
pressupor
primeiro-ministro
primeiro-sargento
pró-ativo
proeminente
propor
pró-reitor
pseudo-organização
pseudossigla

Q

quem quer que seja

R

reabilitar
reabituar
reaver
recém-casado
recém-eleito
recém-nascido
reco-reco
reedição
reeleição
reescrita
reidratar
retroalimentação
reumanizar

S

sala de jantar
segunda-feira
sem-cerimônia
semiaberto
semianalfabeto
semiárido
semicírculo
semi-interno
semiobscuridade
semirrígido
semisselvagem
sem-número
sem-vergonha
sobreaquecer
sobre-elevação
sobre-estimar
sobre-exceder
sobre-humano
sobrepor
social-democracia
social-democrata
sociocultural
socioeconômico
subalimentação
subalugar
subaquático
subarrendar
sub-brigadeiro
subemprego
subestimar
subdiretor
sub-humano
subfaturar
sub-reitor
sub-rogar
sul-africano
superestrutura
super-homem
super-racional
super-resistente
super-revista
supraocular
suprarrenal
suprassumo

T

tenente-coronel
tico-tico
tio-avô
tique-taque
tomara que caia

U

ultraelevado
ultrarromântico
ultrassecreto
ultrassensível
ultrassom
ultrassonografia

V

vaga-lume
vassoura-de-bruxa
verbo-nominal
vice-almirante
vice-presidente
vice-rei
vira-casaca

X

xique-xique 11
xiquexique 12

Z

zás-trás
zé-povinho
zigue-zague
zum-zum

1 como adjetivo ou como advérbio.
2 preferível esta forma a "abrupto", também correta.
3 a forma carbo-hidrato também está correta.
4 refere-se à República Centroafricana.
5 refere-se à região central da África.
6 como substantivo ou como advérbio.
7 quando significar Índia + China; indianos + chineses.
8 referente à Indochina.
9 significando "facilidade de magoar-se".
10 planta.
11 chocalho.
12 planta.
Este quadro está apoiado nas obras:
BECHARA, Evanildo. O que muda com o Novo Acordo Ortográfico. Rio de Janeiro, Nova Fronteira, 2008.
INSTITUTO ANTÔNIO HOUAISS. Escrevendo pela Nova Ortografia. Rio de Janeiro/São Paulo, Houaiss/Publifolha, 2008.
GOMES, Francisco Álvaro. O Acordo Ortográfico. Porto, Porto Editora, 2008.

Fonte: UOL educação

Cultura popular - CANCÃO

O CANCÃO DA FLORESTA


Foto e Texto de Dalinha Catunda

O CANCÃO DA FLORESTA

_ Venha cá dona Maria,
Venha logo me contar,
A história do cancão,
Que vive a lhe aperrear.
Come os ovos das galinhas,
De raiva quer lhe matar.

_ Minha filha esse bicho,
Parece pintura do cão.
Só deixa no meu terreiro,
Ovo furado no chão.
Eu falto é morrer de raiva,
Com esse maldito cancão.

Era assim que eu ouvia,
As queixas de dona Maria,
E sonhava em conhecer,
O cancão que os ovos comia,
Mas o bicho era esperto,
Se via gente sumia.

Um dia eu tive a sorte
De cruzar com o cancão.
Em cima de uma goiabeira,
E foi grande a satisfação.
Pois fotografei a tal Ave
Tão falada em meu sertão.


Dia 05 de outubro é o dia da AVE, por isso estou homenageando essa ave tão admirada em meu sertão.
- - - - -

Visite o Cantinho da Dalinha e... se encante!
.
.
Dalinha Catunda disse...

Querido amigo Airton,
Não tenho dúvidas que um bom leitor e até um futuro escritor é fruto de uma semente plantada na infância.
Sou rica em informações, porque tinha uma tia professora, Isa Catunda, que além de catequista, era uma contadora e tanto de história, incentivava a leitura e mais, toda história que ela lia para a criançada ouvir, frisava bem o nome do autor.
Eu herdei isto de minha tia e consegui repassar aos meus filhos.
Um abraço carinhoso,
Dalinha.

sexta-feira, 2 de outubro de 2009

Dia Nacional da LEITURA 12 de outubro

12 de outubro − Dia Nacional da Leitura / Vamos brincar de ler?

O Portal Amigos do Livro e o Instituto Ecofuturo convidam todos e todas a Brincar de Ler no próximo dia 12 de outubro – Dia das Crianças e também Dia Nacional da Leitura. Esse dia existe desde 2008, depois de uma grande campanha iniciada em 2006, quando uma rede de parceiros se uniu ao Ecofuturo para sensibilizar a sociedade sobre a importância de ler com e para as crianças. Ouvir leitura desde cedo facilita a alfabetização, ajuda a construir o hábito de ler e faz com que a criança perceba o livro como um amigo. Mas isso é segredo de gente grande; para os pequeninos, o que importa é Brincar de Ler. A leitura deve ser feita de coração aberto, com amor e alegria, como toda boa brincadeira. fonte: Amigos do livro.

Ler mais

segunda-feira, 28 de setembro de 2009

UOL - blogs

Política

Internacional

Mídia

Cotidiano

Ciência

Entretenimento

Esporte

Sobre UOL

Tecnologia

Economia

Blog do Vinicius

sexta-feira, 25 de setembro de 2009

Honduras - Manuel Zelaya

Estadista de alta laia:

Honduras vai me esperar

Sou Manuel Zelaya

Tenho o Brasil pra me apoiar

Que não vai fugir da raia

Custe a Lula o que custar -Airton Soares
.
.

quinta-feira, 17 de setembro de 2009

sábado, 12 de setembro de 2009

Morre escritor Antonio Olinto

Luto

Morre escritor Antonio Olinto aos 90 anos

O membro da Academia Brasileira de Letras será velado a partir das 10 horas no Petit Trianon da Academia


12 Set 2009 - 10h25min

Morreu na madrugada deste sábado, 12, o escritor Antonio Olinto aos 90 anos de idade de falência múltipla de órgãos, em sua casa de Copacabana. O membro da Academia Brasileira de Letras (ABL) será velado a partir das 10 horas no Petit Trianon da Academia.
.
Fonte: jornal O Povo Leia +
.
.

quinta-feira, 3 de setembro de 2009

Estrigas

imagem com link

90 anos Estrigas

A carreira de Estrigas confunde-se com a história das artes plásticas cearenses. Ainda atuante, ele comemora os 90 anos de vida com exposição e livro intitulados a grande arte de Estrigas, no Mauc

fonte: jornal O Povo-online-030908

segunda-feira, 31 de agosto de 2009

EDUCAÇÃO


Participe da construção do
novo
Plano Nacional
de Educação

Venha debater a
Qualidade na Educação

Rede Sesc-Senac
de Teleconferência

3 de setembro, das 15h às 17h
(horário de Brasília)
Local (em Fortaleza): Av. Tristão Gonçalves, 1245, Centro, Auditório Bl.B.

Maiores informações: (85) 3452-7005

DALINHA CATUNDA comenta Trova de Ednardo Gadelha

E eu aqui na maciota, ... reproduzindo o que os amigos escrevem.
Que bom!

Dalinha Catunda
disse...

Olá Airton,

O Mundo dá tantas voltas,
e meu amigo, quem diria!
Que numa dessas voltas,
em blogs te encontraria.

Um abraço,
Dalinha

domingo, 30 de agosto de 2009

lançamento: POEMAS DE MIL COMPASSOS

imagem com link
O mundo está preparado para os livros, está preparado para nós, escritores, e nós estamos preparados para ele, mas estamos órfãos, olhamos para todos os lados somente para ver a futilidade de um mercado que deveria nos agradecer por sermos tão persistentes em nossa vocação (Andréa C Migliacci) Saiba +
.
.

sábado, 29 de agosto de 2009

TROVA

Imagem: créditos para www.overmundo.com.br/banco/doce-lascivia


EU PASSO OS DIAS PENSANDO

NAS VOLTA QUE O MUNDO DÁ

E DESSAS VOLTAS VOLTANDO

REPOUSO NO TEU OLHAR.

Prof. Ednardo Gadelha - Fortaleza-Ceará
.
.

Gostei? Tudo bem! Se não... Este conto é uma merda! rsrs


Terror em rolo de papel
Espírito maligno em rolo de papel

O escritor japonês Koji Suzuki, vai lançar conto de terror e será impresso em rolos de papel higiênico. "É como um produto normal. A diferença é que a pessoa pode ler uma história antes de usar o papel", disse à BBC Brasil Hiroshi Nakajima, chefe de vendas da fabricante de papéis Hayashi Paper Corp, empresa que vai lançar o produto. Saiba + clicando no rolo!
.
.

sexta-feira, 28 de agosto de 2009

PT- Estrela cadente


Charge de Sinfrônio - Diário do Nordeste - 280809
.
.

Comércio - Nota Fiscal

Nota fiscal eletrônica será obrigatória para o setor em 2010

CBL Informa - A partir do ano que vem (2010) a Nota Fiscal Eletrônica (NF-e) passa a ter obrigatoriedade nas modalidades de comércio, impressão e edição de livros. O documento tem validade em todos os estados da Federação e já é uma realidade na legislação brasileira desde outubro de 2005, com a aprovação do Ajuste SINIEF 07/05, que instituiu nacionalmente a NF-e e o Documento Auxiliar da Nota Fiscal Eletrônica (Danfe).

fonte: Amigos do Livro Ler mais