quarta-feira, 26 de agosto de 2009

MEDICINA

Recebi e Agradeço

Poesia enviado por João G
omes [copave]

Por Olavo Martins dos Guimarães Bilac

Rita Rosa, camponesa,
Tendo no dedo um tumor,
Foi consultar com tristeza
Padre Jacinto Prior.

O Padre, com gravidade
De um verdadeiro doutor,
Diz: "A sua enfermidade
Tem um remédio: o calor...

Traga o dedo sempre quente...
Sempre com muito calor...
E há-de ver que, finalmente,
Rebentará o tumor!"

Passa um dia. Volta a Rita,
Bela e cheia de rubor...
E, na alegria que a agita,
Cai aos pés do confessor:

"Meu padre! estou tão contente!...
Que grande coisa o calor!
Pus o dedo em lugar quente...
E rebentou o tumor..."

E o padre: "É feliz, menina!
Eu também tenho um tumor...
Tão grande, que me alucina,
Que me alucina de dor...

"Ó padre! mostre o dedo,
(Diz a Rita) por favor!
Mostre! porque há-de ter medo
De lhe aplicar o calor?

Deixe ver! eu sou tão quente!....
Que dedo grande! que horror!
Ai! padre... vá... lentamente...
Vá gozando... do calor...

Parabéns... padre Jacinto!
Eu... logo... vi... que o calor...
Parabéns, padre... Já sinto
Que rebentou o tumor..."
.
.

2 comentários:

Dalinha Catunda disse...

Olá Airton,
Bom-Dia!

O DEDO
Se eu dissesse que não gostei,
Da história do tumor,
Eu estaria mentindo,
Acredite-me senhor.
E o pior é que realmente,
Eu sei onde essa indecente,
O seu dedo enfiou.

Dalinha Catunda

TREINAMENTO disse...

Concordo com você...e teria sido mesmo Bilac o autor da poesia. Estou pesquisando.

Bjs