terça-feira, 2 de outubro de 2007

Conversa vai... mev asrevnoC 03

Airton Soares

FAÇA COMIGO O QUE ÀS VEZES
faço com você. Quando leio um texto na internet e vejo que o autor dá espaço para comentários, não me confino apenas a elogiar. Dou a minha impressão da maneira mais assertiva. A maioria agradece. Se de coração ou só pra fazer o “social”, não sei.

DIA DESSES
recebi crítica de abalizada leitora a uma de minhas crônicas. De pronto, minha adrenalina subiu tanto que ficou apostando corrida nas veias. Após a tempestade constatei que, para melhor entendimento do leitor, eu deveria ter aprofundado mais o tema.

RECENTEMENTE ESCREVI
uma crônica que fala da dificuldade que nós temos em dizer “não sei.” No final, cito o grande Goethe: “Só sabemos com exatidão quando sabemos pouco, à mediada que vamos adquirindo mais conhecimento, instala-se a dúvida.”

USO, ABUSO E ME LAMBUZO
dessa citação em meus cursos e palestras. É escusado dizer que já sei a máxima de cor e salteado. Caso o leitor se interesse em ler a crônica o lique é este: http://literbra.blogspot.com/2007/09/confesse-sua-ignorncia.html Não tem “marmota” (vírus). Endereço seguro. É parte integrante do meu blog LIVROS & LIVROS que, por sinal, tem um bordão de fazer inveja: que DEUS nunca ME LIVRE dos LIVROS.

É MEU AMIGO...
não podemos ficar esperando pelo outros, rasgados elogios. Se o elogio é difícil, imagine rasgado! É tão raro um elogio sincero que quando elogiamos uma pessoa (digo isso em tese) ela ao invés de agradecer se justifica.

QUE VER?
– Fulana, adorei seu vestido verde. Ela, prontamente: - Não.. É velho, mulher! Ora, bolas! Pra que dizer que é velho... Usado? É bonito. Isso basta!

VEJA ESTE OUTRO EXEMPLO:
- Muito obrigado pelo favor que você me fez, Sicrano. Aí o Sicrano responde: – Num foi nada não. Ora, num foi nada não. Você, meu amigo, despendeu tempo, energia e tal que verei e ainda diz que não foi nada. Vote! Cuide de altear sua baixa auto-estima `home e homa´ de Deus!

E PRA TERMINAR
“Ó Deus, dai-me paciência. Quero tê-la agora mesmo!” Vai conseguir nunca!

Um comentário:

Airton Soares disse...

publicado na afai e outra história